terça-feira, 15 de novembro de 2011

MIRAGEM DO AMOR


MIRAGEM DO AMOR


Esta miragem crua
Que, imobilizada, tenta brincar
Com a chuva, o fogo e o ar
Entre as flores secas e a árvore nua.


Este vento forte
De certa forma, impetuoso
É insensível e maldoso
Com nossos sonhos entre a vida e a morte.


Nem uma gota d'água deste rio cansado
Encravado no silêncio da floresta
Me explica nem o que resta
Nem o que se passa neste sonho embaçado.


Agora, com meu grito rouco
Digo, incansavelmente, ao mundo
O que sinto de mais profundo
Te amo tanto e ainda é pouco.


Tu, meu sonho encantado
Te quero muito e tanto
Por isso grito e canto
Que você é meu desejo realizado


Hoje, no silêncio desta miragem crua
Entre folhas e flores
Quero provar todos os sabores
Da minha vida que também é sua.

5 comentários:

  1. http://paraneura.blogspot.com/ meu blog, amei o seu espero q viste o meu! abraços estou a te seguir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom ter você por aqui. Seja bem vinda!!!

      Excluir
  2. lindo lindo espero que possamos poemar juntos e obrigado pela visita! abraços e te vejo em breve.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Vau, vim aqui, virei seguidor, e depois vou voltando com calma pra ler direitinho as paradas.

    grande abraço.

    Se vc tem Facebook, please, me add!

    http://facebook.com/renatodemelomedeiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom ter você por aqui. Seja bem vindo, meu amigo

      Excluir